segunda-feira, 30 de abril de 2007

Desire



animated text love lust desire raw poem with equally raw musical performance by kom9os


Anime Love - 1000 Words (Instrumental)





Enigma - Invisible Love


Oh rescue me, oh rescue me, my love
Oh rescue me, oh rescue me, my invisible love,
Oh rescue me, oh rescue me, my love,
Oh rescue me, oh rescue me, my invisible love,

I'll follow you, I'll follow you, oh rescue me,

Oh rescue me, oh rescue me, my love,
Oh rescue me, oh rescue me, my invisible love,
Oh rescue me, oh rescue me, my love,
Oh rescue me, oh rescue me, my invisible love




Aham...

sexta-feira, 27 de abril de 2007

And You?

quinta-feira, 26 de abril de 2007

Entre Dois Amores


Artwork by Ully Arndt




Ela pode ser má, muito má...

Artwork by Dirk Westphal



Qualquer Forma de Exercitar-se Vale A Pena!

quarta-feira, 25 de abril de 2007

terça-feira, 24 de abril de 2007

Parede



Tem parede na parada...
E se a ti não posso chegar,
Só me resta teu muro pichar.

Nina Victor



Solte-se, Liberte-se...

photography by tanakawho



segunda-feira, 23 de abril de 2007

Livre, Leve, Solta








Um dia eu chego lá...

Blue



Por trás do azul nada há
além de abismo,
buraco negro...
É o vazio poço
de fantasias não vividas,
onde habitam os
ecos de sorrisos prometidos
e o leve som dos prazeres
jamais sentidos...

Nina Victor



domingo, 22 de abril de 2007

Hello!

Fotografia de Dante Cérbero



Sobre a Solidão

Terms of Love by Don Lekei

Loving
Is when someone becomes
Such a part of you
That when they leave
Part of you leaves with them
When they hurt
You feel their pain stronger
When they smile
You feel like dancing
Making Love
Is sharing a piece of your soul
And infusing your partner's heart
With fire
It is not sex
You can make love without touching
With a look across a room
That sucks out your hearts
Through your eyes
Or an embrace with such heat
It could reduce the very clothes between you
To ash
For when you are
In Love
Every molecule of your body
Wants to be next to your partner's counterpart
And every impulse of your soul
Longs to share the same space
There is no distance
Close enough
Being in the same room
Holding hands
A passionate embrace
Even the entwining of sex
Are too far apart
At least once
Everyone deserves a chance
To discover the difference


Adoro o Vovô!

Love Heals

Esse Sol de Olhos Azuis...

Depois do Amor

Photography by David Ewing


pausa pra descanso...
ou sono talvez...
pra depois, no amanhã,
recomeçar tudo outra vez

Nina Victor


Poema de E. E. Cummings


may i feel said he

(i'll squeal said she
just once said he)
it's fun said she

(may i touch said he
how much said she
a lot said he)
why not said she

(let's go said he
not too far said she
what's too far said he
where you are said she)

may i stay said he
(which way said she
like this said he
if you kiss said she

may i move said he
is it love said she)
if you're willing said he
(but you're killing said she

but it's life said he
but your wife said she
now said he)
ow said she

(tiptop said he
don't stop said she
oh no said he)
go slow said she

(cccome?said he
ummm said she)
you're divine! said he
(you are Mine said she)

Algo Para Não Esquecer

sexta-feira, 20 de abril de 2007

Poison


I’d like to toast all my sorrow
And laugh at my glow
I’d like to drink some sweet poison
And rest my body and soul...

Nina Victor


Chave da Vida


O sonho natural
Que vem dos desejos intrínsecos
E guardados a sete chaves,
Revelam a verdade do coração,
A necessidade da alma
E a sede da vida.

Nina Victor



Silêncio

Fotografia de Dante Cérbero



Pode haver primavera
mesmo que a realidade
aponte para o inverno;
Pode haver o vermelho da paixão
e o rosa das emoções
ainda que o azul da solidão
domine a paisagem;
Pode restar alguma ternura,
ainda que o frio dilacere o meu coração;
Há tanta coisa a ser dita
ainda que minha boca
tenha feito do silêncio, sua opção.

Nina Victor


Faz Sentido...

quarta-feira, 18 de abril de 2007

Prudência

Abruptamente

De tempos em tempos algo acontece e balança as minhas certezas me obrigando a reavaliar a situação. De tanto repensar já tenho minhas conclusões e posso até ousar dizer que sei dos riscos que corro. E se vou em frente em meu propósito e procuro ao máximo seguir meu cronograma, sem queimar etapas ou pecar pela preciptação, é consciente de que o canto da sereia existe e eu não sei nadar. Sei que posso me afogar nas águas da desilusão, como também sei que posso me afogar num mar de paixão. E as duas opções são perigosas. Já não me importo, embora seja mentira...

Há um lar...

Today I want to...

terça-feira, 17 de abril de 2007

When Your Love Surrounds Me

Artwork by Simon Bull


domingo, 15 de abril de 2007

Dormir no teu colo...

Fotografia de Gregory Colbert


Versatilidade

sábado, 14 de abril de 2007

Is This Love?


E no entanto é
em você que penso nos
meus mais intensos instantes...

Nina Victor







Funny Cartoon

Black Widow

Artwork by Jason Chan



Krishnamurti e o Sexo


Perguntou-se a Krishnamurti se ele julgava condenável que as pessoas fortemente sexuadas cedessem a seus instintos. "Nada é condenável se resulta de algo que esteja realmente dentro de nós", foi sua resposta. "Atenda a seu instinto, se ele não foi instigado por estimulantes superficiais e o consome interiormente - e, assim, não haverá problema sexual em sua vida. Só se cria o problema quando alguma coisa dentro de nós, real, encontra oposição por parte de considerações intelectuais".

Mas certamente não são apenas considerações intelectuais que levam muitos a julgarem errada a satisfação de uma forte necessidade sexual, mesmo se ela é tão forte que não possa ser suprimida.

"A supressão nunca resolve um problema. Nem a autodisciplina o faz. Isto é apenas substituir um problema por outro".

Mas, como espera você que milhões de pessoas, escravas do sexo, resolvam o atrito entre suas necessidades e esse senso judicioso que tenta impedi-las de satisfazerem esses desejos? Na Inglaterra é muito menor o número de pessoas dominadas pelo sexo, mas vejamos esse país, a América do Norte; ou a maioria dos países da Europa; consideremos muitas das nações orientais - para elas suas necessidades sexuais são um grave problema.

Notei uma expressão de ligeira impaciência na fisionomia de Krishnamurti. "Para mim este problema não existe", disse ele; afinal, o sexo é uma expressão do amor, não é? Eu pessoalmente extraio tanta alegria do contacto da mão de uma pessoa de quem eu goste, quanto qualquer outro de suas relações sexuais."

E que diz das pessoas comuns que não alcançaram o seu grau de maturidade, ou outro qualquer nome que se lhe dê?

"Para começar, cumpre que todos considerem o sexo nas suas justas proporções. O que domina os homens, hoje em dia, não é tanto o sexo como necessidade vital interior, mas, sim, as imagens e os pensamentos relativos ao sexo. Toda a nossa vida moderna é propícia a eles. Olhemos ao redor de nós. Dificilmente abrimos um jornal, viajamos no "metrô", ou passamos por uma rua sem encontrar anúncios e cartazes que tentem nossos instintos sexuais para louvar um par de meias, uma nova pasta de dentes ou uma certa marca de cigarros.

Creio que jamais houve tantas moças seminuas figurando entre as páginas dos jornais e das revistas como actualmente. Em todas as lojas, cinemas e cafés, as ascensoristas, empregadas e vendedoras estão preparadas, enfeitadas como mulheres perdidas para tentarem nossos instintos sexuais. Elas mesmas não têm consciência disso, mas suas roupas curtas, pernas expostas, rostos pintados, penteados extravagantes, o constante atractivo físico que são obrigadas a exercer sobre o freguês, nada mais fazem senão estimular nossos instintos sexuais. Oh! É brutal, simplesmente brutal! O sexo foi rebaixado ao papel de servo de comerciante sem imaginação. Se alguém resolve editar uma nova revista, em vez de recorrer à sua imaginação para organizar uma capa interessante e atractiva, o que faz é apenas publicar a fotografia colorida de uma moça com os lábios semi-abertos, escondendo sugestivamente o seu peito e parecendo uma perfeita prostituta. Estamos sendo constantemente atacados, e já não sabemos se se trata de nossa própria necessidade sexual ou de vibração sexual produzida artificialmente pela vida ao redor de nós.

Este apelo degradante, enfático, a nosso instinto sexual é um dos mais detestáveis sinais de nossa civilização. Tire-se isto e a maior parte da chamada necessidade sexual desaparecerá".

"Não sou um moralista", acrescentou Krishnamurti depois de uma pausa, "Nada tenho contra o sexo, e sou contra a supressão do sexo, a hipocrisia sexual e mesmo o que se chama autodisciplina sexual, que nada mais é que uma forma específica de hipocrisia. Mas acho censurável que o sexo seja diminuído, introduzido em todas essas formas de vida às quais ele não pertence".

Não obstante, Krishnaji, seu mundo sem essa excessiva atracção sexual só seria encontrado no País da Utopia. Estamos tratando do mundo como realmente é, e como provavelmente ainda será no futuro, muito tempo depois que você e eu tenhamos desaparecido.

"É possível, mas isto não me interessa. Não sou um médico; não posso prescrever meros remédios; cogito única e simplesmente da verdade espiritual fundamental. Se você deseja remédios e métodos parciais, procure um psicólogo. Só posso repetir que se nos reajustarmos de maneira que permitamos que o amor se torne um sentimento onipresente no qual o sexo seja uma expressão de genuína afeição, todos os cruéis problemas do sexo deixarão de existir"' .


Extraído do livro de Rom Landau "God is my Adventure"


terça-feira, 10 de abril de 2007

domingo, 8 de abril de 2007

E Pra Papai do Céu a Minha Gratidão!

It´s a Wild World

Sometimes I feel like...

http://www.photosight.ru/photo.php?photoid=1488595&ref=author


Páscoa!

How To Shower - Men & Women



How To Shower - Men & Women - Watch the best video clips here

Querer nem sempre é Poder...

Alter-Ego

"Nymph" by Dark-Spider


Nothing Lasts

Photography by Evgeniy Shaman



sábado, 7 de abril de 2007

Minhocas na Cabeça

Artwork by Ana Rasha


Suas regras mexem com a minha ansiedade
e botam pulgas atrás das minhas orelhas
que cortam a minha espontaneidade.
Estou sempre pensando no que falar
como falar e, principalmente,
se devo realmente falar.
Com isso,
calo pensamentos e desejos,
transfiro as urgências e
adio o amanhã.
Perco eu,
perde você,
perdemos nós.
Um pouco.
Talvez...

Nina Victor


De Richard Bach

sexta-feira, 6 de abril de 2007

Amigo é pra essas coisas...

Blue Room


Artwork by Audrey Kawasaky



quinta-feira, 5 de abril de 2007

terça-feira, 3 de abril de 2007

So Sexy...

Photography by Jude



Mas só chove, chove...

Photography by Oleg Kosirev



O Amor é o Amor de Alexandre O´Neill


O amor é o amor - e depois?!
Vamos ficar os dois
a imaginar, a imaginar?..

O meu peito contra o teu peito,
cortando o mar, cortando o ar.
Num leito
há todo o espaço para amar!

Na nossa carne estamos
sem destino, sem medo, sem pudor,
e trocamos - somos um? somos dois? -
espírito e calor!
O amor é o amor - e depois?!



Assinatura! :)

De Patrícia F. Machado



"Às vezes temos que suportar o atraso inevitável
que está ligado à tudo que vale a pena esperar!"


Eu & Você Somos Um

Falou e Disse!



"Odeio quem me rouba a solidão

sem em troca me oferecer
verdadeiramente companhia".

Nietzsche


De Kahlil Gibran


Ainda ontem pensava que não era
mais do que um fragmento trémulo sem ritmo
na esfera da vida.
Hoje sei que sou eu a esfera,
e a vida inteira em fragmentos rítmicos move-se em mim.

Eles dizem-me no seu despertar:
"Tu e o mundo em que vives não passais de um grão de areia
sobre a margem infinita
de um mar infinito."

E no meu sonho eu respondo-lhes:
"Eu sou o mar infinito,
e todos os mundos não passam de grãos de areia
sobre a minha margem."

Só uma vez fiquei mudo.
Foi quando um homem me perguntou:
"Quem és tu?"

Abra Suas Asas, Solte Suas Feras, Caia Na Gandaia

Foto de Dante Cérbero

segunda-feira, 2 de abril de 2007

A Um Ausente de Carlos Drummond de Andrade


Tenho razão de sentir saudade,
tenho razão de te acusar.
Houve um pacto implícito que rompeste
e sem te despedires foste embora.
Detonaste o pacto.
Detonaste a vida geral, a comum aquiescência
de viver e explorar os rumos de obscuridade
sem prazo sem consulta sem provocação
até o limite das folhas caídas na hora de cair.

Antecipaste a hora.
Teu ponteiro enlouqueceu, enlouquecendo nossas horas.
Que poderias ter feito de mais grave
do que o ato sem continuação, o ato em si,
o ato que não ousamos nem sabemos ousar
porque depois dele não há nada?

Tenho razão para sentir saudade de ti,
de nossa convivência em falas camaradas,
simples apertar de mãos, nem isso, voz
modulando sílabas conhecidas e banais
que eram sempre certeza e segurança.

Sim, tenho saudades.
Sim, acuso-te porque fizeste
o não previsto nas leis da amizade e da natureza
nem nos deixaste sequer o direito de indagar
porque o fizeste, porque te foste.


A Resposta de Deus... :)