domingo, 25 de março de 2007

Tempo



Há tempos de paz, tempos de espera, tempo para amar, tempos conturbados.
O tempo nunca está só, de alguma maneira quase sempre está adjetivado, acompanhado de uma idéa, sensação, atividade... qualquer coisa que denote a qualidade do tempo que estamos vivendo.
Meu tempo tem sido uma mescla de todos os tempos.
Há amor de sobra e de qualidade, sinto carinho sincero vindo de vários lados.
Há tranquilidade no meu trabalho.
Há estabilidade na minha casa.
Há pequenas, porém, preciosas vitórias a cada dia que tenho vivido.
Existem vários fatores que, conjugados me fazem uma pessoa feliz e de sorte.
Contudo, tenho um ponto fraco: minha saúde.
Por que será que há quase sempre alguma coisa acontecendo comigo?
Novamente, estou às voltas com exames e pesquisas... novamente sinto o medo tentar se apoderar de mim e, novamente, luto contra isto.
Preciso me dominar e parar de sofrer por antecipação.
Preciso aprender a aguardar os resultados e diagnósticos antes de me desesperar.
Aliás, preciso aprender a não me desesperar e sim, a confiar e a combater o possível desequilíbrio que possa haver em meu organismo.
Tenho muita fé em Deus e na Egrégora de Tupyara.
E como sempre, recorro à minha fé para me manter de pé e caminhando, com a certeza de qualquer mal maior que esteja pensando em habitar meu corpo, será banido, e aqui, em mim, não fincará suas raízes.
Acredito no poder da fé, nas curas espirituais e em milagres.
E acredito, porque já recebi várias graças ao longo de minha vida, já fui curada de doenças mais de uma vez. E só tenho a agradecer por isso. Deus é sempre muito generoso comigo.


Nenhum comentário: