sexta-feira, 2 de março de 2007

Noite de cão



Vivi a pior noite da minha vida. Cheguei a ter certeza de que iria morrer. Dores fortíssimas, dormência e cãimbras nos pés e nos braços e mãos, tonteira, dificuldade de falar, boca e garganta totalmente ressecadas, parca capacidade de enxergar e compreender o que estava havendo à minha volta e o Leo desesperado sem saber o que fazer. Com as poucas forças que eu tinha, rezei, rezei muito, pedi, supliquei algum alento, paz, cura. Quando as dores pararam e o mal -estar geral também, tive calafrios terríveis, não havia edredon que me aquecesse... acho que acabei adormecendo de cansaço, mas acordando a toda hora... e o Leo, ali do meu lado, sem dormir, tomando conta de mim. Talvez tivesse sido o caso de me levar para um hospital, mas ele ficou sem ação, de tão desesperado. O fato é que acordei hoje melhor, mas sem condições de ir trabalhar, ainda me sinto fraca e mal consigo ficar de pé sem me apoiar em algo, ainda sinto um pouco de enjôo e estou com medo de comer o que quer que seja... Leo foi trabalhar. Deus está comigo.


Nenhum comentário: