quarta-feira, 28 de fevereiro de 2007

Olha o que você me provoca...





Always




Clica pra ver o GIF!




sábado, 24 de fevereiro de 2007

Tristesse



artwork by Nadia Nadege


Vou dormir me sentindo muito triste.
Minha mãe sempre diz:
"vai chorar na cama que é lugar quente".
Ela tá certa.
E é isso que eu vou fazer...

Nina Victor

sexta-feira, 23 de fevereiro de 2007

Pausa




Hoje, uma gigantesca pergunta ficou suspensa sobre minha cabeça, tal qual um zeppelin refletindo raios de sol, impossível de não ser notada, impossível de se passar batido, impossível não trazê-la à avaliação. E está até agora perturbando meus neurônios e comprimindo meu coração. Não sei a resposta. Ou talvez, prefira fingir que não sei...

Tola





Palavras, palavras, sempre elas...
Num instante me enlevam,
no outro me desconcertam.
E quando me desconcertam
provocam vibrações ruins
dentro de mim,
como se não houvesse mais
por que seguir,
como se o desespero
que leva à desesperança
fosse a única saída
da cilada na qual estou.
Droga! Odeio me sentir tola.

Nina Victor



quinta-feira, 22 de fevereiro de 2007

Veneno






terça-feira, 20 de fevereiro de 2007

Out!





Na barriga...





Ah... você e suas palavras
ativam as borboletas em mim!

:)




TPM





Paixão é Pura Química





O órgão sexual mais poderoso do corpo humano é o cérebro. É ali que nasce o desejo e surge a paixão. Também é de lá que vem a vontade de ficar junto ou de trair. Desse laboratório, sai a química que rege todas as emoções.


Por Ricardo Bonalume Neto

''Não saco nada de física/Literatura ou gramática/Só gosto de educação sexual/
E odeio química'

A música se chama 'Química', é de Renato Russo e é ótima, mas hoje não dá para imaginar algo tão contraditório. O motivo é simples: quase tudo o que se refere a sexo e amor poderia ser entendido pela química produzida entre duas ou mais pessoas. As reações químicas acontecem desde a primeira visão da pessoa amada, o tal amor à primeira vista, disparando substâncias que passam a agir no organismo sem cessar. A longo prazo, a presença ou não de certas substâncias ajuda a explicar a diferença entre um relacionamento duradouro e outro que terminou.

O fato é que o principal órgão sexual do ser humano é o cérebro - ele não comanda apenas as fantasias, mas também a cascata de reações químicas. E isso começa cedo: antes mesmo do nascimento, os hormônios entram em ação, organizando os circuitos cerebrais que vão moldar a futura vida sexual da pessoa.

A FÓRMULA DA ATRAÇÃO
No início, pode bastar um olhar, especialmente para os homens. Várias pesquisas mostram que, de fato, eles são atraídos primeiro pela anatomia feminina. E o que costuma atrair não muda muito na maior parte do planeta: os hormônios sexuais determinam que a atenção dos homens se volte especialmente para rostos simétricos, redondos e algo infantis, corpos cheios de curvas, com destaque para a cintura, bem definida. Já as mulheres vão além da aparência -outros elementos são rapidamente analisados de modo inconsciente: a voz grossa, a atenção dedicada a ela. Homens e mulheres, porém, recebem no sangue a mesma descarga de hormônios que desencadeia o processo de atração mútua.

A explicação tradicional para essas reações diferentes se baseia no que aconteceu durante a maior parte da história humana. Durante centenas de milhares de anos, bandos de homens e mulheres vagaram pelas savanas africanas, construíram lares em cavernas e viveram da caça de animais e da coleta de frutos. Foi só com o início da agricultura e da civilização, há cerca de 10 mil anos, que os fatores culturais passaram a interagir com uma sólida base biológica -e química.

A preferência masculina por quadris largos, por exemplo, também teria relação com esse passado: aos nossos ancestrais, quadris estreitos podem ter sinalizado dificuldades no parto, como a morte da mulher ou da criança. Com isso, o homem não teria sucesso em seu objetivo básico, o de se reproduzir e deixar descendentes.

AS RAZÕES DO ADULTÉRIO
A formação de pares é uma característica da sexualidade entre os seres humanos -o que não significa que não exista infidelidade, e muita. Pesquisas realizadas nos Estados Unidos indicam que as escapadas podem acontecer de fato em 25% a 50% dos casais. Estudos de paternidade baseados em exames de sangue já apontavam, na década de 1940, 10% de filhos ilegítimos. E esse número hoje pode ser maior, graças à precisão dos testes de DNA. Tanto adultério leva a crer que deve existir um componente biológico nessa atitude, segundo Helen Fisher, da Universidade Rutgers, nos Estados Unidos. De volta aos nossos ancestrais: a mulher que copulasse secretamente com outro homem poderia ganhar recursos extras para sobreviver e cuidar de seus filhos. Poderia, também, aproveitar ao máximo os dois tipos de homens -o que é parceiro e ajuda a cuidar da prole, e o tipo alto, forte e másculo, capaz de gerar filhos fortes. Com isso, elas teriam o melhor de dois mundos: descendentes com bons genes e filhos bem cuidados por ótimos maridos.

Talvez isso também explique por que homens casados seriam tão atraentes para mulheres solteiras: eles já teriam provado ser capazes de formar um par. No caso dos homens, o adultério se justifica pelo impulso de querer gerar descendentes a partir de diferentes mães, uma vez que, biologicamente, ele pode e tem o impulso de fecundar várias vezes por mês.


AS DROGAS DO AMOR
Os casamentos de Margareth Mead, outra antropóloga conhecida, ilustram as teorias de Fisher. Certa vez comentaram que ela tinha fracassado nesse assunto, já que havia se casado três vezes. Para ela, porém, isso não tinha nada a ver com fracasso. 'O primeiro casamento é para sexo. O segundo, para crianças. O terceiro, para companheirismo.'

Helen Fisher acredita que a atração do casal também passa por três fases, mediadas por diferentes neurotransmissores -as substâncias que agem no cérebro, mais exatamente na passagem dos sinais elétricos entre as células nervosas ou neurônios. Sexo, a busca de um parceiro para ter prazer, é a primeira motivação, e pode levar ao que ela chama de 'amor romântico'. Nessa fase, o casal fica literalmente viciado um no outro, e a culpa é do neurotransmissor dopamina, também vinculado à sensação de prazer ligada a drogas. E, assim como acontece com quem está sob a influência de uma droga, a pessoa pode ter picos de euforia e de desespero. Tradução: em um momento, o amor é lindo. Em outro, é tormento, e o motivo muitas vezes é banal, só porque ele (ou ela) não telefonou, por exemplo.

Passada essa etapa, a relação vai amadurecer. Forma-se, então, o vínculo emocional necessário para manter os pais unidos, cuidando da criança que provavelmente virá.

O terceiro momento, quando o casal consegue chegar até lá, é o do companheirismo. Mas isso, em geral, significa menos relações sexuais. Pesquisas feitas nos Estados Unidos com casais bem jovens indicam que eles fazem sexo de 11 a 12 vezes por mês. Mesmo aos 30 anos, a freqüência gira em torno de nove vezes, caindo para seis depois dos 40 anos e para apenas uma vez por semana depois dos 50.

MONOGAMIA EM SÉRIE
O desejo de deixar seus genes para a posteridade existe tanto nas mulheres como nos homens, mas há uma diferença importante. Em geral, elas têm apenas um óvulo por mês para ser fecundado. Ficam grávidas durante nove meses e depois devem cuidar de uma criança vulnerável por um bom tempo. Já o homem pode fecundar muitas parceiras simultaneamente, sem interrupções.

Essa é a explicação tradicional para a formação de pares: a mulher precisa de alguém que a ajude a cuidar da criança e o pai quer que seu filho sobreviva. Para manter o casal junto, a seleção natural desenvolveu uma maneira de tornar a relação mais divertida para os dois: o sexo. A maioria dos animais faz sexo apenas para procriar. Mas o ser humano pode fazer sexo, e faz, a qualquer momento -exceto nos momentos mais próximos ao parto.

Para uma das mais polêmicas pesquisadoras da área, a antropóloga Helen Fisher, os seres humanos estão quimicamente programados para o que ela chama de 'monogamia serial' -os casais se formam, se separam e voltam a se juntar em novos pares. Essas uniões duram, em média, quatro anos, coincidentemente o mesmo número de anos registrado nas estatísticas dos divórcios nos Estados Unidos.

Quatro anos, segundo Fisher, marcaria a época em que uma criança atinge idade suficiente para ser cuidada por outros membros do bando de caçadores pré-históricos. Até uma garotinha de 8 ou 9 anos teria -e tem, como é possível confirmar hoje em dia- capacidade para tomar conta de uma irmãzinha.

A POÇÃO DA FIDELIDADE
A verdade é que faz muito pouco tempo que a ciência começou a entender o sexo. Só na década de 1930 foi descoberto o principal hormônio masculino, a testosterona. 'Até os anos 1960, ninguém sabia como acontecia a lubrificação vaginal, e havia poucos estudos sobre a fisiologia da excitação sexual e do orgasmo', diz James Weinrich, pesquisador da Universidade da Califórnia. Só nos últimos 20 anos é que os cientistas começaram a entender melhor o que realmente acontece no cérebro.

Uma experiência feita na Universidade Emory, em Atlanta, sobre o papel da oxitocina e da vasopressina em animais revelou que espécies parecidas podem ter comportamentos bem diversos. O hormônio vasopressina, por exemplo, age em uma área do cérebro que regula o processo de formação do par, ativando o que poderia ser chamado de 'sistema de recompensa', já que dá uma sensação de prazer. As substâncias são liberadas no cérebro depois de uma relação sexual, e o prazer do ato é associado ao parceiro.

Assim, os roedores de uma espécie X, por exemplo, são maridos ideais: monogâmicos -o que acontece só com 3% dos mamíferos-, ainda ajudam a fêmea a cuidar dos filhotes. Mas outros roedores, primos bem próximos, não formam pares e machos e fêmeas não cuidam bem dos filhotes.

Quando o bichinho monogâmico forma o par, seu cérebro literalmente jorra oxitocina. Mas, se os cientistas bloqueiam a produção desse hormônio, a química entre o macho e a fêmea simplesmente não acontece, e eles não se tornam um par. Por outro lado, quando se aumenta a dose, o ratinho se apaixona mais rapidamente e mesmo os outros ratinhos, os primos sem-vergonha, passam a ser fiéis a uma única ratinha.

Ainda não se sabe se algo parecido acontece no cérebro de homens e mulheres, embora as duas substâncias -oxitocina e vasopressina- existam no corpo humano, com funções conhecidas diferentes (por exemplo, fazer a mulher produzir leite durante a amamentação). Mas alguns cientistas acreditam que a oxitocina também seria uma espécie de 'poção do carinho': a produção dessa substância aumentaria sempre que o casal está de mãos dadas, abraçadinho na cama, ou mesmo assistindo a um filme romântico.

BONS EFEITOS COLATERAIS
Na prática, desvendar a química do sexo não tem como objetivo criar maridos ou esposas fiéis. A idéia é ajudar a resolver distúrbios variados: nas drogas modernas, os hormônios são ingredientes poderosos e eficientes. Um estudo recente feito nos Estados Unidos revelou que quase metade das mulheres e um em cada três homens têm algum tipo de problema sexual: falta de desejo na mulher e falhas de ereção no homem estão entre as principais queixas. Isso não é diferente no Brasil. No 'Estudo da Vida Sexual do Brasileiro', realizado pela psiquiatra Carmita Abdo, de São Paulo, os números batem: 27 em cada 100 mulheres têm dificuldade para se excitar, 45% dos homens sofrem de disfunção erétil em algum grau, e em cada dez brasileiros -homens e mulheres- três não chegam ao clímax.

Claro que a química não explica tudo. Homens e mulheres podem achar parceiros que não seriam considerados tão atraentes pela maioria, mas que são o ideal para eles. De qualquer forma, não há como ignorar certos efeitos químicos notáveis, como o da 'sincronia da mentruação': a cientista Martha McClintock, da Universidade de Chicago, descobriu que mulheres que convivem no mesmo ambiente, o de trabalho, por exemplo, tendem a menstruar no mesmo período.

O próprio ato de menstruar também depende da composição química do corpo. Para começar a menstruar, uma adolescente precisa ter pelo menos 17% do seu peso na forma de gordura e 22% para manter ciclos regulares. Essa é uma boa notícia para mulheres que admiram a magreza da boneca Barbie: um cálculo feito por pesquisadores na Finlândia mostrou que uma Barbie de carne e osso teria tão pouca gordura que não seria capaz de menstruar. Sem contar que seus quadris estreitos não atrairiam o homem herdeiro dos gostos de seus antepassados das cavernas.

Minha Noite Seria Mais Leve





Bastaria uma gota

apenas de sua saliva
para aplacar essa fome
que sinto de você.
Um gotinha,
um pouquinho que fosse
do seu gosto
na minha boca
e minha noite
seria mais leve.
Bastaria apenas
um suave pousar de mãos
em minhas pernas
para aquecer
meu corpo
e tendo o corpo quente
minha noite seria mais leve.
Bastaria um breve roçar
de seus lábios
em meu pescoço
para arrepiar
os meus seios
e tendo seu hálito em mim
minha noite seria mais leve.

Nina Victor



Quer Saber?





A vida é uma lenha...

só tem valor se pega fogo e
depois que pega fogo,
se consome, se acaba.

Nina Victor


Tempos Passados 74



A Muralha e a Neve


A muralha se vê de longe...
ela me aguarda, me resguarda,
e eu me fortaleço nela.
Mas a neve, eu sinto em mim.
Essa neve me aquece
e depois me entristece.
A neve se revela em arte
da qual não faço parte.
A neve me chama
e depois me esquece.
A neve congela,
e congelando, conserva
o que em mim floresce...

Nina Victor


Tempos Passados 73




Distâncias


Distâncias me perseguem. Eu nunca percorro distâncias. Elas é que correm atrás de mim. E vêm atrás de mim apenas para levar o que me é caro. Do barato ninguém quer saber. Nem mesmo as distâncias. Então elas chegam e sequestram o que for bem meu. Querm for bem meu. Meu bem... vá lá. E tá pensando que elas levam embora só os bens sexuais? Não... distâncias são abrangentes, gostam de diversificar... levam irmão, levam o melhor amigo e até o chefe que é seu camarada, sem cerimônia, elas passam e carregam. E aí, em vez de ficar a ver navios, eu fico a ver estradas, espaços, as tais distâncias. Distâncias são tão sacanas que levam até o que não chegou, ficam embarreirando quem quer chegar, sem contar nas propostas indecentes e irrecusáveis pra cima daqueles poucos bens que ainda me restam. Eu odeio distâncias... mas tô cansando. Qualquer dia paro de brigar e me deixo levar também.


Tempos Passados 72




Amando Fantasmas



Quem já amou um fantasma e
sentiu nos lábios a ausência de calor ao toque do beijo?
Os lábios frios que arrepiam a pele de tesão e de pavor?
Quem já desejou um ser sem rosto, sem corpo fálico
mas que faz barulho por onde passa, assombra a mente,
transpassa paredes e sopra suaves indecências ao vento?
Quem já sentiu o gozo chegar num calafrio?
Quem já teve gemidos abafados pelo som de pesadas correntes?
Quem, em sã consciência,
reconheceu nos lençóis amassados o perfume da morte?

Nina Victor


Ilusão



Óleo de John William Waterhouse




No amor,
prorroga-se a expectativa de vida
com impulsos insanos de se tentar
trazer à tona
sentimentos naufragados.

Nina Victor


Tempos Passados 71





Saudade


O carnaval chegou, eu aqui suando e você gelando. Será que não dava pra gente ficar numa temperatura amena? Droga de geografia, droga de espaço, insensíveis oceanos! Cansei do egoísmo crônico de vocês, que não se mexem, ou se mexem não ajudam, não se compadecem, não se espremem, não contribuem para a distância reduzir. Por que não tenho asas, aerodinâmica, longa autonomia de vôo, turbinas, sei lá mais o quê, qualquer coisa que me eleve do chão, que não seja paixão, que não seja tesão, que não desejo?







Tempos Passados 70





Amor de Olhos Oblíquos



Por lá o amor deve ser outra coisa que não a suavidade do sentir ou a cumplicidade das meias-palavras compreendidas... o amor por lá deve ser árido e rude, difícil como uma vida vazia, um solo débil onde não há florescer por mais que se semeie as boas sementes do querer. Pelo que tenho visto, o amor de olhos oblíquos adoece facilmente... é frágil em sua precoce demência e inflige sofrimento com sua inclemência pueril. Sua palavras pontiagudas desprovidas de poesia transpassam corações apaixonados, manchando de sangue os sonhos transformando-os em pesadelos. E assim, o amor acaba.

Nina Victor



segunda-feira, 19 de fevereiro de 2007

Dia Importante




Hoje, dia dezenove de fevereiro de 2007, é um dos dias mais impostantes da minha vida. Os motivos, que não irei declinar aqui, são totalmente de foro íntimo. Mas basta registrar que hoje, identifiquei o havia de ruim na vida e que eu não estava gostando. Fiat Lux! Tudo se clareou na minha cabeça e finalmente consegui verbalizar tudo que estava "engasgado", me sufocando e atrapalhando a vida. Tive uma conversa seríssima e esclarecedora aqui em casa, onde expus meus motivos, desejos, e próximos comportamentos. Como costumo falar, "para depois não dizer que a cigana enganou". Avisei como passarei a agir, quais meus objetivos... enfim, lancei o sinal de alerta e sigo em frente, decidida e determinada a fazer tudo aquilo que quero na minha vida, do meu jeito, ao meu modo, com meu tempero, para o meu prazer e recuperação total. Assim será. Não quero mais ter uma felicidade parcial. Quero a felicidade por inteiro, com os sabores que me agradam e o colorido que encanta meus olhos. Não vou viver em função de ninguém. Vou cuidar de mim e trabalhar para que eu possa trazer para o meu dia a dia tudo aquilo que contribui para que eu tenha uma vida plena e feliz. Salve!




De W. Somerset Maugham





Se confessasse cada ação da minha vida e

cada pensamento que me atravessou o espírito,
o Mundo me julgaria um monstro de depravação.



De Alejandra Pizarnik




A Jaula


Lá fora há sol.
Não é mais que um sol
porém os homens olham-no
e depois cantam.

Eu não sei do sol.
Eu sei a melodia do anjo
e o sermão quente
do último vento.
Sei gritar até de manhã
quando a morte pousa nua
na minha sombra.

Eu choro debaixo do meu nome.
Eu agito lenços na noite e barcos sedentos de realidade
dançam comigo.
Eu oculto cravos
para escarnecer dos meus sonhos enfermos.

Lá fora há sol.
Eu visto-me de cinzas.




De Affonso Romano de Sant'Anna




A primeira vez que entendi do mundo
alguma coisa
foi quando na infância
cortei o rabo de uma lagartixa
e ele continuou mexendo.

De lá pra cá
fui percebendo que as coisas permanecem
vivas e tortas
que o amor não acaba assim
que é difícil extirpar o mal pela raiz.

A segunda vez que entendi do mundo
alguma coisa
foi quando na adolescência me arrancaram
do lado esquerdo três certezas
e eu tive que seguir em frente.

De lá pra cá
aprendi a achar no escuro o rumo
e sou capaz de decifrar mensagens
seja nas nuvens
ou no grafite de qualquer muro.




Nós





Somos nós que não desatam
Somos nós sem sermos nós
Eu em você e você em mim
Furtando espaços
Em crescentes desejos
Numa sublimação concreta
Daquilo que podemos ser... nós.

Nina Victor



Tempos Passados 69





Coração


Meu coração esteve quente
Meu coraçao esteve frio
Esteve tão colorido
Esteve em preto-e-branco
Esteve acelarado
E de susto, quase parou
Manteve as portas lacradas
Noutras vezes escancaradas
Esteve sorrindo de dia
Às vezes chorando de noite
Mas os últimos acontecimentos
Me deixaram um coração
Diferente do que eu tinha
Um coração morno, desbotado,
Desritmado, com portas entreabertas
E um jeito distante, vazio
Ausente de sentimentos.

Nina Victor


Tempos Passados 67




O último sonho de 2005 teve como principais personagens eu e meu pai. Fugimos e sobrevivemos a duas tsunamis. E finalmente pude dizer a ele o quanto o amo. Nunca falei isto em vida. Entretanto, nesta madrugada pude dizer. Ele sorriu e me abraçou. Creio que gostou de ouvir. Ainda que em sonho. Ainda que com atraso. Ainda que em outra dimensão.


Cansei de Você






Não quero que me veja

Nem que me reconheça
Serei sombra sem face
Desprezo sem disfarce

Nina Victor


Retiro





Chega um momento em que o vazio é o que salva

pois o que transborda, afoga, tira o ar, é armadilha:
faz secar por dentro,

retorce sentimentos,

mumifica intenções.
É morte na certa.
Melhor assim:
o vazio, o ar puro... eu mergulhada em mim.

Nina Victor


Tempos Passados 65




Ending


Não quero mais saber do seu dia,
das suas expectativas e esperanças;
não me interessam seus desejos,
nem suas experiências,
muito menos suas carências.
Não quero saber das vitórias,
nem mesmo das derrotas,
da solidão ou da angústia
que moram em seu coração.
Não quero beijos nem abraços,
nem sonhos nem realidades,
não quero seu calor e
dispenso seus cuidados.
E como cantava Lulu:
"não imagine que te quero mal,
apenas não te quero mais"

Nina Victor


Tempos Passados 64




Pendências


Estou aborrecida... que novidade!

De tanto querer, acabo por não ter,
de tanto pensar, deixo de existir,
de tanto falar, acabo incompreendida,
de tanto sexualizar, deixo de amar.

Nina Victor


Tempos Passados 63



Por Você


Como eu queria existir da maneira que você me vê.
Pra ser sua plenamente, sem adiamentos e nem mentiras.
Apenas ser sua, dia a dia, eternamente.

Nina Victor

O Coração Fala






Tornar-me teu sonho real,

ser teu alimento, tua ternura,
fazer-te sorrir, ser tua menina,
acabar com a distância,
eliminar as diferenças,
trazer o bem à tona,
sentir teu cheiro, teu toque,
viver o daqui pra frente,
esquecer o que ficou pra trás,
sermos nós a qualquer custo
de agora até o fim:
indivisíveis e primordiais...

Nina Victor


Em vão






Eu não posso apressar o tempo.

Então dormi por toda a tarde tentando burlar esta limitação.
Em vão.
Você habitou em meus sonhos.

E acordei com saudade
querendo sonhar mais.

Nina Victor



Indagação





Será que um dia seremos, na vida um do outro,
apenas como a lembrança do sol durante a noite?

Nina Victor







domingo, 18 de fevereiro de 2007

Tempos Passados 62





Que Venha A Tempestade

Que a chuva caia para o céu negro se dissipar.
Não aguento mais horizontes cinzentos, atmosferas pesadas,
o ar ameaçador pré-tempestade, trovões ao longe provocando meus medos,
luzes que riscam o céu não apontando caminhos mas destruindo atalhos...
Quero as águas redentoras, que invadem, inundam e
levam consigo o que não for sólido, seguro.
Deixa-me ficar com os restos fortes de lembranças que não passam,
de amores que não morrem.
Leva daqui as falsas expectativas, as intimidações, os sorrisos atravessados.
Deixa-me ficar com o que restar de mim pra que eu posssa recomeçar...

Nina Victor

Bem, te quero bem




Hoje meus sentimentos por você não estão cabendo em mim. Tão bom seria se sentimentos fossem tais como a água, que quando transborda do copo se perde... tão mais fácil seria se a cada explosão de bem-querer, o amor se reduzisse, se perdesse no ar, se misturasse às impurezas e fosse definhando até sumir...






Tempos Passados 61





Como Vai Ser?


Como vai ser minha vida sem você?
Como será a dor de saber que outra usufrui de seus beijos,

sua atenção, seus carinhos, sua voz?

Em quem pousarei meu pensamento quando estiver sozinha

buscando algum prazer com meu corpo?
Quais lembranças devo reter?
O que devo descartar?

Como alimentar meus sonhos?

Por que pensar em soluções?
De que me valem meus supérfluos se não consigo ter o básico?
Que farei à noite sem a sua lembrança?

Como viver o dia sem esperança?

Como preencher o vazio?

Como não chamar seu nome?

O que fazer com sentimentos,
como cair no esquecimento?
Como sufocar o que explode?
Como esconder o que salta aos olhos?

Nina Victor



Talvez




Talvez não exista o sabor que procuro
no vinho que bebo
Talvez seja doce demais
para o meu acelerado coração...
Talvez seja manhã
quando busco madrugada
Talvez seja morno e tépido
quando queimo e gelo ao mesmo tempo
Talvez seja encaixe
quando busco um desarme
Talvez seja mansidão
quando busco transgressão...

Nina Victor

Soneto 43 de Shakespeare





Sexo




Das coisas dele que me agradam:
barulhinhos e suspiros,
olhos no olhos enquanto
aquilo está naquela,
beijos lambidos,
mãos inquietas,
pegada na moral,
marcas na pele...

Nina Victor




Assim




Muitas Paixões e um só Amor.
Sou eu.




sábado, 17 de fevereiro de 2007

Falling





Seduz-me (autoria desconhecida)




Seduz-me, lentamente
Seduz-me com água morna
e pétalas de flores silvestres
Adocica-me os sentidos
Seduz-me o olfacto com perfumes
do oriente

Languidamente
entrega-me aos teus desejos
Rende-me ao teu olhar
profundo e quente.
Domina o meu tacto
faz-me viajar nos sentidos
pela tua pele
Quero ser persuadido pela força
da tua mente...

Induz-me a crer
convence-me...
Derrota a minha vontade
Seduz-me
Lentamente...

( artwork by by Mia Jennings)





Sol





Hoje quero o sol em meus olhos,
em meus poros, aquecendo meu corpo.
Quero sentir sua energia me envolvendo
e arrepiar de calor e prazer.
Quero um sol particular,
que só a mim ilumine e só por mim brilhe.

(sim, ando egoísta ultimamente)

Nina Victor




sexta-feira, 16 de fevereiro de 2007

N. de Nando Reis





Repentinamente



Artwork by May Ann Licudine


Palavras, como raios, atingiram minha cabeça
e o vislumbre do futuro foi flecha certeira
em meu músculo vital.

Nina Victor




quinta-feira, 15 de fevereiro de 2007

Eba!



A ótima notícia do dia é que meu carro novo chegou.
Tão lindinho e completinho... :)
Não vejo a hora de chegar sábado para poder sair para passear com ele.
Obrigada, meu Deus por mais esta vitória!

Voltando do Médico




Levei a primeira parte dos exames para a médica ver e três coisas foram constatadas: tenho uma leve gastrite (mas ainda falta o resultado da pesquisa da tal bactéria), tenho várias pedrinhas na vesícula (assintomático ainda) e tenho uma pequena hérnia (que me causa uma dorzinha quase que diária, que vai e volta). O que tenho a fazer por enquanto... tomar um remedinho para a gastrite durante duas semanas, tomar alguns cuidados para não piorar a hérnia e daí precisar operar e, ficar atenta quanto ao menor sinal da vesícula, coisa que até o presente momento não se manifestou e espero não se manifeste. No mais, é ter força de vontade e determinação para atingir meus objetivos o mais rápido possível e correr para abraçar a vida!

Volta Logo!










Quer saber?
As coisas não têm
a mesma graça
sem você por perto...

segunda-feira, 12 de fevereiro de 2007

De David Mourão-Ferreira





Só por dentro de ti a noite escuta o que me sai, sem voz, do coração.






Oito Anos




De companheirismo, dedicação, amizade e amor incondicional.
Parabéns para nós.




Yes...





Acordei Feliz!





domingo, 11 de fevereiro de 2007

Sobre o Aborto




Andei lendo por aí que em Portugal houve uma consulta à população sobre a possibilidade do aborto vir a ser considerado legal. E parece que, apesar da alta abstenção, aqueles que foram às urnas deram a vitória ao sim. Pessoas comemoram achando que isso foi uma vitória da modernidade, da civilidade. Eu, careta que sou, fico estarrecida. Simplesmente, não consigo imaginar por que hoje em dia com todas as possibilidades de controle da concepção, ainda existam pessoas que clamam pela legalidade do aborto, como se este ato atroz, covarde e cruel fosse uma alternativa ao controle da natalidade.

PQP, vejo mulheres esclarecidas, bem informadas e formadas, defendendo esta idéia vil, quando há ao nosso alcance diversas maneiras de se evitar uma gravidez indesejada. Eu geralmente fico calada, não entro em discussões e guardo meu ponto de vista e os preceitos da minha consciência comigo mesma. Mas não há, no mundo, argumento que possa me fazer mudar de idéia. Repudio veementemente a legalidade do aborto. Sou radicalmente contra ceifar uma vida porque não se pensou nas consequências na hora do prazer irresponsável. Acho um ato egoísta e desumano. Na minha cabeça, o aborto só é aceitável em casos de estupro ou de perigo de morte para a mãe ou para o bebê ou em casos de malformação irreparável.

Não admito e jamais vou considerar o aborto uma coisa normal e aceitável. Quem me conhece sabe que não nunca quis ser mãe na minha vida, que não tenho paciência com crianças e não acho graça em bebês. Não tenho instinto maternal e não me agrada a idéia de ter alguém dependente de mim ad eternun. E mesmo assim, sempre fui contra o aborto. Nunca deixei de fazer minhas "coisinhas", ter namorados e prazer. Porém, sempre fui extremamente cuidadosa para evitar uma gravidez. Pois, se algum dia eu tivesse engravidado, teria tido o bebê, viraria mãe mesmo não sendo este meu plano de vida. Pagaria o preço da responsabilidade pelo meu descuido e desatenção, mas jamais me tornaria uma assassina. Jamais interromperia a vida de um ser. Jamais negaria à alguém o direito à vida, que não me foi negado.

Respeito e amor ao próximo são a base da paz interior. E eu digo de cadeira, por experiência própria: basta ter cuidado que a gravidez não acontece. Aborto, jamais.

Nina Victor




sábado, 10 de fevereiro de 2007

I'm in




artwork by Peter Max




sexta-feira, 9 de fevereiro de 2007

Vazio








Quando não te vejo
o dia tem mais horas.

quarta-feira, 7 de fevereiro de 2007

Que gostoso!





Coisas Boas




Hoje eu acordei com vontade de pensar em coisas boas.
E a primeira imagem que me veio à mente foi você...

Nina Victor




terça-feira, 6 de fevereiro de 2007

Meu perfil: INFJ



(Introversão iNtuição Sentimento (Feeling) Julgamento)

Seu modo principal de viver é focado internamente, absorvendo fatos primariamente através da sua intuição. Seu modo secundário é externo, através do qual você lida com as coisas de acordo com a maneira com que você se sente quanto a elas, ou de acordo com a maneira com que elas se encaixam no seu sistema pessoal de valores.

Você é uma pessoa gentil, carinhosa, complexa e altamente intuitiva. Artístico e criativo, você vive num mundo de significados e de possibilidades ocultas. Apenas 1% da população mundial tem características de personalidade como a sua, fazendo desse o tipo mais raro de todos.

Você dá grande importância a ter as coisas organizadas e sistematizadas no seu mundo exterior. Você emprega um grande bocado de sua energia identificando o melhor sistema possível para fazer as coisas acontecerem e constantemente define e redefine as prioridades na sua vida. Por outro lado, você funciona intuitivamente e de maneira totalmente espontânea dentro do seu mundo interior. Você conhece as coisas através da intuição, sem ser capaz de explicar exatamente por que, e sem ter um conhecimento detalhado do assunto. E você está freqüentemente certo, e sabe quando esse é o caso. Conseqüentemente, você põe muita fé nos seus instintos e nas suas intuições. Isto é algo como um conflito entre seu mundo interno e externo, e possivelmente resultando em você não ser tão organizado quanto a maioria das pessoas que preferem uma vida estruturada. Isso se demonstraria através de sinais de desordem (quando na verdade você teria uma tendência a ter as coisas organizadas), como por exemplo, no caso de uma mesa de trabalho aparentemente bagunçada.

Você tem uma compreensão intuitiva afiadíssima sobre pessoas e situações. Assim, você tem aquele feeling sobre as pessoas, entendendo-as intuitivamente. Como um exemplo extremo, você pode até relatar eventos de ordem sobrenatural, como por exemplo, sentindo algo forte que te diz que houve algum problema uma pessoa amada, e vir a descobrir depois que ele sofreu um acidente de carro. Esse é o tipo de coisa que as outras pessoas podem vir a tirar sarro, mas nem você realmente compreende sua intuição num nível que possa ser transformado em palavras, para que você possa explicar isso aos outros. Conseqüentemente, você acaba escondendo seu “eu interior”, dividindo seus sentimentos apenas com aqueles que você escolher dividir. Você é um indivíduo complexo e profundo, é bastante reservado, e tipicamente difícil de compreender. Você esconde boa parte de suas intenções, e pode ficar guardando dentro de si diversos segredos que você poderá não compartilhar com ninguém.

Mas você é uma pessoa tão genuinamente calorosa quanto é complexa. As pessoas mais próximas a você te querem muito bem e podem enxergar suas qualidades especiais e a profundidade com que você se importa com elas. Assim, você se importa com os sentimentos das outras pessoas e tenta ser gentil, evitando magoá-los. Você é muito sensível a conflitos, e não os tolera com facilidade. Situações que são carregadas de conflito podem te levar do seu estado normal e pacífico para um estado de agitação e raiva elevada. Sob estresse você tende a internalizar os conflitos no seu corpo, podendo desenvolver problemas de saúde.

Por você ter capacidades intuitivas tão fortes, você crê acima de tudo em seus próprios instintos. Isso pode resultar em você se tornar um cabeça-dura e a ignorar as opiniões das outras pessoas, pois você acredita que você está sempre certo. Por outro lado, você é um perfeccionista que sempre se pergunta se está utilizando todo seu potencial. Você raramente está em paz completa consigo mesmo, pois sempre há algo que você pode fazer para evoluir ou para melhorar o mundo à sua volta. Você acredita em crescimento constante, e geralmente não passa tempo se lembrando das suas conquistas. Você tem um forte sistema de valores, e precisa viver sua vida de acordo com o que sente ser o correto. Com relação ao seu lado emocional, você é de certa maneira gentil e tranqüilo. Por outro lado, você tem altas expectativas de si mesmo, e freqüentemente da sua família, e você não acredita em entrar num acordo quanto aos seus ideais.

Você naturalmente cuida das pessoas, é paciente, zeloso e super-protetor. Você pode ser um ótimo pai/mãe e gostará de criar laços fortes com seus filhos. Você tem altas expectativas deles, e os pressionam para ser o melhor que puderem, e isso pode se manifestar através de atitudes duras e inflexíveis para com eles. Mas, de um modo geral, seus filhos receberão uma educação forte e sincera de você, juntamente de muito carinho.

No ambiente de trabalho, você é atraído por áreas onde você possa ser criativo e trabalhar de uma maneira independente. Você tem uma afinidade natural para a arte, e pode também obter sucesso trabalhando com as ciências, onde você poderá utilizar sua intuição. Você também se dará bem em profissões orientadas à prestação de serviços. Você não é bom em lidar com coisas muito detalhadas ou com tarefas muito delicadas. Assim, você provavelmente tentará evitar esses tipos de situação, ou acabar indo para o lado oposto e se envolver tanto com os detalhes até o ponto de você perder a grande visão do seu propósito com aquilo. Se você tomar o rumo de ser meticuloso com os detalhes, você pode se tornar altamente crítico com as outras pessoas que não são assim tão meticulosas quanto você.

Mas lembre-se: você tem qualidades que pouquíssimos têm. A vida, porém, não será necessariamente mais fácil para você, mas saiba que você é capaz de obter incríveis conquistas pessoais, guiado pelos seus sentimentos profundos.


Atitude: Introvertida

Temperamento: Idealista

  • Atitude (segundo Spranger): religiosa
  • Elemento: fogo
  • Fonte de alegria (Aristoteles): etica (virtude moral)
  • Simbolo mitologico (segundo Paracelso): ninfas (inspiracao)
  • Temperamento (segundo Galen): melancolico

Sua comunidade: INFJ (Participe!)

Sua oração: "Senhor, permita que eu seja menos perfeccionista. (Será que eu escrevi certo?)"

http://www.gnubis.com.br/cgi-local/teste.pl




domingo, 4 de fevereiro de 2007

Minha Paz






Você tem o dom de me trazer de volta ao equilíbrio,
de pacificar meus pensamentos quando eles insistem
em destruir minhas emoções.
Suas palavras me tranquilizam e
sua presença-ausência me preenche o dia.
Não entendo por que o tempo tardou nosso encontro,
talvez para que o momento certo chegasse,
livre das incertezas e das diferenças,
talvez porque quisesse nos (re)unir na maturidade,
na época da melhor compreensão do amor,
do estar junto, do compartilhar...
Eu não quero perder você.

Nina Victor




Let´s?







sábado, 3 de fevereiro de 2007

Durga ou Quem disse que os gatos não são companheiros?







Minha gatinha Durga é simplesmente sensacional.
Toda vez que eu estou triste ou preocupada com alguma coisa ela permanece ao meu lado o dia inteiro, o tempo todo. Se estou num aposento e vou para outro e ela vem comigo, se resolvo dormir, ela se deita ao meu lado ou sobre a minha barriga e dorme junto. Quando vou tomar banho, ela me acompanha e fica me esperando do lado de fora do box. Se vou comer, ela se deita ao lado da minha cadeira até eu terminar. Se estou no computador, ela fica ao meu lado em sua poltroninha... Jamais me sinto só, e nunca perco as esperanças. Tendo a Durga por perto, não há tristeza que dure muito tempo. Sempre agradeço à Deus o presente que é a Durguinha! :)





Texto de Antonio Ermírio de Moraes


"Se você ainda não sabe qual é a sua verdadeira vocação, imagine a
seguinte cena:
Você está olhando pela janela, não há nada de especial no céu, somente algumas nuvens aqui e ali.


Aí chega alguém que também não tem nada para fazer e pergunta:


- Será que vai chover hoje?


Se você responder "com certeza"... a sua área é Vendas :

O pessoal de Vendas é o único que sempre tem certeza de tudo.


Se a resposta for "sei lá, estou pensando em outra coisa"... então a sua aérea é Marketing:

O pessoal de Marketing está sempre pensando no que os outros não estão pensando.


Se você responder "sim, há uma boa probabilidade"... você é da área de Engenharia:

O pessoal da Engenharia está sempre disposto a transformar o universo em números.


Se a resposta for "depende"... você nasceu para Recursos Humanos:

Uma área em que qualquer fato sempre estará na dependência de outros fatos.


Se você responder "ah, a meteorologia diz que não"... você é da área de Contabilidade:

O pessoal da Contabilidade sempre confia mais nos dados no que nos próprios olhos.


Se a resposta for "sei lá, mas por via das dúvidas eu trouxe um guarda-chuvas":

Então seu lugar é na área Financeira que deve estar sempre bem preparada para qualquer virada de tempo.


Agora, se você responder "não sei"...

há uma boa chance que você tenha uma carreira de sucesso e acabe chegando a diretoria da empresa.

De cada 100 pessoas, só uma tem a coragem de responder "não sei" quando não sabe.

Os outros 99 sempre acham que precisam ter uma resposta pronta, seja ela qual for, para qualquer situação.


"Não sei" é sempre uma resposta que economiza o tempo de todo mundo,

e pré-dispõe os envolvidos a conseguir dados mais concretos antes de tomar uma decisão.


Parece simples,

mas responder "não sei" é uma das coisas mais difíceis de se aprender na vida corporativa.


Por quê?


Eu sinceramente "não sei".


(Antonio Ermírio de Moraes - Revista Exame)